Qual o custo de um trabalhador para a empresa?

Custo de um trabalhador

Sabe quanto representa o custo de um trabalhador na estrutura de custos da sua empresa?

 

No momento da decisão do reforço do capital humano da sua empresa é necessário avaliar a componente financeira e qual o impacto dos encargos sociais e salariais na estrutura de custos da empresa. Qual o custo de um trabalhador para a empresa?

Os recursos humanos de uma organização, contribuem decisivamente para o crescimento da mesma, mas o acréscimo de custos não deve ser ignorado. É necessário que haja um equilíbrio entre os custos com os trabalhadores e o montante que o seu negócio consegue gerar. Para determinar o custo mensal de um colaborador, onde se incluem os encargos sociais, devemos ter em consideração as seguintes rubricas:

 

Qual o salário base mensal do trabalhador?

Deve ser definido o salário base, o qual é sujeito às contribuições para a Segurança Social (encargos sociais) e ao seguro de acidentes de trabalho. A contribuição das empresas para a Segurança Social, chamada de Taxa Social Única (TSU) é, atualmente, de 23,75% de um total de 34,75% com a parte do trabalhador incluída (11%). Quanto ao seguro de acidentes de trabalho, é também um gasto obrigatório, e o seu valor não é fixo e não excede, normalmente, 1% do salário a pagar. Estes custos são liquidados numa base de 14 meses.

O salário base tem como limite inferior a Retribuição Mínima Mensal Garantida (RMMG) que constitui um referencial do mercado de trabalho, tanto na perspectiva do trabalho digno e da coesão social, como da competitividade e sustentabilidade das empresas. Em 2018 o valor do salário mínimo em Portugal é de 580€

 

Qual o valor do subsídio de alimentação?

Depois de definido o salário base é necessário calcular o gasto com o subsídio de refeição, o qual é efetivamente pago em 11 meses (meses de trabalho efetivo) não sendo pago no mês em que o trabalhador está de férias. O seu valor diário está sujeito a limites de isenção em sede de IRS e de TSU. As empresas têm, no entanto, outra modalidade de pagamento do subsídio de refeição disponível, que é através de cartão refeição, um cartão pré-pago atribuído a cada trabalhador e que é carregado pela empresa, mensalmente, e cujo saldo poderá ser utilizado na generalidade dos estabelecimentos de restauração, supermercados e estabelecimentos afins. Neste caso, o limite de isenção para efeitos de IRS e TSU aumenta para os 7,23€ diários.

 

Outros gastos, quais?

Existem ainda outros gastos que devem ser considerados, nomeadamente os relacionados com a medicina, higiene e segurança no trabalho, assim como os gastos relacionados com a formação profissional dos trabalhadores, a qual é obrigatória por lei e deverá ser frequentada pelo trabalhador num mínimo de 35 horas por ano.

 

Custo de um trabalhador para um salário de 800€ mensais?

  • Salário Base: 800€ x 14 meses = 11.200€ / 12 meses = 933,33 €
  • Encargos Sociais: 800€ x 23,75% = 190€ x 14 meses = 2.660 € / 12 meses = 221,66 €
  • Seguro Acidentes de Trabalho: 800€ x 1% = 8€
  • Subsidio de Alimentação: 5,11€ x 22 dias úteis = 112,42 € x 11 meses = 103,05 €

Custo total mensal = 933,33 € + 221,66€ + 8€ + 103,05€ = 1.266,04 €

Custo total anual = 15.192,48 €

 

Tem alguma dúvida que nos queira colocar? Teremos todo o gosto em conversar sobre o assunto.

Contacte-nos

 

Lei também: